Mundo

Relatório de Felicidade Mundial: Finlândia está em primeiro lugar, Índia em 139º

Dos 10 primeiros países da lista, nove eram da Europa. A Finlândia foi seguida pela Dinamarca, Suíça, Islândia, Holanda, Noruega, Suécia, Luxemburgo, Nova Zelândia e Áustria.

As pessoas aproveitam o dia quente de verão em um lago em Espoo, Finlândia, em 26 de junho de 2020. (AP)

A Finlândia foi declarada o país mais feliz do mundo pelo quarto ano consecutivo, de acordo com o Relatório de Felicidade Mundial 2021 publicado na sexta-feira pela Rede de Soluções de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Enquanto isso, a Índia ficou em 139º lugar entre os 149 países da lista - uma ligeira melhora em relação ao ano passado, quando ficou em 140º lugar.Dos 10 primeiros países da lista, nove eram da Europa. A Finlândia foi seguida pela Dinamarca, Suíça, Islândia, Holanda, Noruega, Suécia, Luxemburgo, Nova Zelândia e Áustria.

O relatório avaliou os níveis de felicidade levando em consideração fatores como PIB, apoio social, liberdade pessoal e níveis de corrupção em cada nação. Mas este ano, os autores tiveram um novo desafio único para abordar no relatório - a pandemia de Covid-19 em andamento e seu impacto devastador nas nações ao redor do mundo.

A pandemia nos lembra de nossas ameaças ambientais globais, a necessidade urgente de cooperar e as dificuldades de alcançar a cooperação em cada país e globalmente, disse um dos autores, Jeffrey Sachs. O Relatório de Felicidade Mundial 2021 nos lembra que devemos almejar o bem-estar e não a mera riqueza, que será passageira, de fato, se não fizermos um trabalho muito melhor para enfrentar os desafios do desenvolvimento sustentável.

Com a pandemia causando estragos em todo o mundo, o relatório deste ano forneceu dois conjuntos diferentes de classificações - um era a lista usual com base na média de três anos de pesquisas realizadas em 2018-2020 pela Gallup, enquanto outro focava exclusivamente em 2020 até entender como a Covid impactou o bem-estar subjetivo.

De acordo com os autores do artigo, a confiança foi o fator-chave usado para medir a felicidade em cada país. Nações onde os cidadãos tinham mais fé investida em suas instituições e tinham maior igualdade de renda foram consideradas mais bem-sucedidas no combate à pandemia.

O Afeganistão continuou sendo o país menos feliz do mundo, de acordo com a lista. Enquanto isso, os Estados Unidos caíram uma posição, para o número 19. Vários países asiáticos se saíram melhor este ano do que no ano passado, enquanto a China passou da 94ª para a 84ª posição.

Surpreendentemente, não houve, em média, um declínio no bem-estar quando medido pela avaliação das próprias pessoas sobre suas vidas, disse John Helliwell, outro autor do relatório.