Colunistas

Relembrando o 11 de setembro: Todd Beamer, o graduado do Wheaton College no vôo 93 que disse ‘Vamos lá’

Beamer se tornou um herói nacional por causa de seu telefonema descrevendo o sequestro para Lisa Jefferson, uma supervisora ​​na época do Call Center da Verizon Airfone em Oak Brook.

Todd Beamer, o passageiro do vôo 93 de 9-11 famoso por dizer Let’s Roll, formou-se no Wheaton College. Sua viúva, Lisa, falou na sexta-feira em um memorial do Wheaton College, marcando o 20º aniversário do ataque.

Todd Beamer, o passageiro do vôo 93 de 9-11 famoso por dizer Let’s Roll, formou-se no Wheaton College. Sua viúva, Lisa, falou na sexta-feira em um memorial do Wheaton College, marcando o 20º aniversário do ataque.

Captura de tela

Neste 20ºaniversário dos ataques de 11 de setembro, vamos lembrar os papéis de duas pessoas da área de Chicago - Todd Beamer e Lisa Jefferson - e como suas vidas se cruzaram naquele dia horrível.

chicago bulls coby white

Todos nós temos nossas próprias memórias de 11 de setembro de 2001, o dia em que terroristas transformaram quatro aviões em mísseis.

Um avião atingiu cada uma das duas torres do World Trade Center. Um terceiro avião colidiu com o Pentágono. A quarta aeronave - aquela em que Beamer estava - mergulhou em um campo em Shanksville, Pensilvânia.

Beamer cresceu no subúrbio oeste de Glen Ellyn.

Jefferson foi criado no South Side.

Beamer estava no vôo 93 da United Airlines. Acredita-se que seu avião sequestrado iria para Washington, com a Casa Branca e o Capitólio - símbolos de nossa nação - alvos maduros.

Beamer é mais conhecido por sua frase comovente, Let’s roll, dita antes que ele e vários outros passageiros atacassem os terroristas, frustrando seus planos de ataque quando o avião caiu na zona rural da Pensilvânia.

a nova refeição no McDonald's

Usando um Airfone, preso às costas de um encosto de cabeça em um assento, Beamer simplesmente discou 0 e foi conectado a Jefferson, um supervisor na época no Verizon Airfone Call Center no subúrbio oeste de Oak Brook. O mundo sabe como os passageiros enfrentaram os terroristas do vôo 93 por causa dessa ligação.

Os dois - ambos calmos e com presença marcante - conversaram por cerca de 15 minutos com Beamer relatando a situação no avião. Os passageiros já sabiam dos ataques ao WTC por meio de ligações que conseguiram atender.

Beamer, 32, em 11 de setembro, estava morando em Canbury, Nova Jersey. Ele era gerente de contas da Oracle Corporation, pai de dois meninos com outro bebê - uma menina - a caminho. Ele estava viajando para San Francisco para uma reunião de negócios quando os terroristas tomaram o controle de seu vôo.

Filho dos subúrbios do oeste, Beamer estudou na Wheaton Christian Grammar School e foi membro da classe da Wheaton Christian High School de 1987. A escola, em West Chicago, agora se chama Wheaton Academy.

Ele foi para o Wheaton College, uma escola cristã de artes liberais, onde conheceu sua esposa, Lisa. Eles se formaram na Wheaton em 1991. Beamer recebeu um MBA da DePaul University em 1993.

Lisa Brosious Beamer estava de volta ao campus na sexta-feira para um memorial sobre o 11 de setembro na Capela Edman.

Lisa Beamer (à direita) é a esposa do herói do vôo 93 da United, Todd Beamer, que simplesmente discou 0 de um Airfone em seu assento no avião e foi conectada a Lisa Jefferson (à esquerda), uma supervisora ​​na época no Verizon Airfone Call Centro no subúrbio oeste de Oak Brook.

Lisa Beamer (à direita) é a esposa do herói do vôo 93 da United, Todd Beamer, que simplesmente discou 0 de um Airfone em seu assento no avião e foi conectada a Lisa Jefferson (à esquerda), uma supervisora ​​na época no Verizon Airfone Call Centro no subúrbio oeste de Oak Brook.

Captura de tela do arquivo

Ela contou que Jefferson a princípio duvidou de Beamer porque ele estava muito calmo. Ela explicou, Todd amava sua vida, mas ele sabia que sua vida era muito mais do que seus 32 anos na Terra. Sua alma estava segura, mesmo quando seu corpo não estava, porque Jesus era seu salvador.

Os filhos de Todd e Lisa Beamer, David, Drew e Morgan - nascidos nos meses seguintes ao 11 de setembro - foram todos para o Wheaton College.

Em 2006, Jefferson e a ex-âncora do WBBM Felicia Middlebrooks escreveram um livro sobre aquele dia, Called, publicado por um braço do Moody Bible Institute. Jefferson escreveu sobre como Todd Beamer parecia tão tranquilo que me fez começar a duvidar da autenticidade e urgência da ligação.

Capitão Kirk nova jornada nas estrelas

Eu podia ouvir os gritos e gritos ao fundo enquanto Todd Beamer pintava em detalhes vívidos as ocorrências a bordo do avião naquele dia terrível, disse Jefferson.

Lisa Beamer contou a história para alunos - muitos não nascidos em 2001 - da última ligação de seu marido. E como Beamer pediu a Jefferson para orar a Oração do Senhor e o Salmo 23 com ele.

E depois disso, Beamer e outros passageiros, todos heróis, executaram seu plano para deter os terroristas. Disse Beamer, vamos continuar.

Minha história de 11 de setembro

Vinte anos atrás, na manhã de 9-11, eu estava no Aeroporto Midway, a caminho de Washington, D.C., esperando para embarcar em um vôo que, é claro, nunca decolou porque todo o tráfego aéreo foi imediatamente paralisado. Eu assisti, horrorizado, enquanto os monitores de televisão no meu portão reproduziam o vídeo do segundo avião caindo nas torres do World Trade Center.

Algumas semanas depois, em 30 de setembro, eu estava em Nova York, no local onde as torres gêmeas ficavam, relatando a visita do então presidente da Câmara, Dennis Hastert, às ruínas. Isso foi anos antes de ele deixar o Congresso e do escândalo sexual que veio à tona e que o levaria para uma cela de prisão.

Os principais líderes de Nova York no momento do ataque - o prefeito Rudy Giuliani e o governador George Pataki - guiaram Hastert. Eu fui capaz de acompanhá-lo. Pegamos um barco de um cais próximo ao Ground Zero. O que nunca vou esquecer: ver os fragmentos de aço retorcido das torres gêmeas.