Mundo

Paquistão fecha fronteira importante com o Afeganistão

A passagem da fronteira de Chaman - o segundo maior ponto de fronteira comercial com o Afeganistão depois da cidade comercial de Torkham em Khyber Pakhtunkhwa - foi fechada devido a ameaças à segurança, informou o Geo News, citando fontes.

As pessoas esperam enquanto se reúnem para cruzar o Afeganistão no ponto de passagem do Friendship Gate na cidade de Chaman, na fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão, no Paquistão, em 2 de setembro de 2021. (Reuters)

O Paquistão fechou temporariamente na quinta-feira uma importante passagem de fronteira com o Afeganistão, aparentemente devido ao medo do fluxo de refugiados ansiosos para deixar sua terra natal depois que o Taleban tomou o poder no mês passado.

A passagem da fronteira de Chaman - o segundo maior ponto de fronteira comercial com o Afeganistão depois da cidade comercial de Torkham em Khyber Pakhtunkhwa - foi fechada devido a ameaças à segurança, informou o Geo News, citando fontes.

No início do dia, o ministro do Interior, Sheikh Rashid Ahmed, disse que a passagem de Chaman pode ficar fechada por alguns dias devido a ameaças à segurança.

Estaremos fechando a passagem de Chaman por um tempo, disse ele, sem especificar por quanto tempo a fronteira ficaria fechada.

Explicado|Um olhar sobre o longo relacionamento do Paquistão com o Talibã

Ele disse que havia calma dentro e ao redor da fronteira.

Nossas forças estão presentes na fronteira. Temos orgulho das nossas instituições de segurança pelos serviços que prestam para a segurança do país, afirmou.

Ele disse que o Paquistão deseja paz e estabilidade no Afeganistão, acrescentando que a paz no Afeganistão é importante para a paz no Paquistão.

A travessia liga a cidade fronteiriça de Chaman com Spin Boldak, na província afegã de Kandahar, e é frequentada por afegãos e também para o comércio entre os dois países.

Milhares de afegãos se aglomeram ao redor da travessia para entrar no Paquistão, que já anunciou que não está em posição de aceitar mais refugiados, segundo autoridades de segurança.

Já cerca de 3 milhões de refugiados afegãos vivem no Paquistão, alguns há mais de três décadas, desde a invasão de seu país pela antiga URSS em 1979.

Autoridades paquistanesas expressaram temor de que cerca de um milhão a mais invadisse o país se as regulamentações de fronteira fossem relaxadas.

Atualmente, mais de 90 por cento dos mais de 2.500 quilômetros de fronteira do Paquistão com o Afeganistão foram cercados e apenas cerca de uma dúzia de pontos de passagem permitem a entrada de pessoas com documentos de viagem válidos.