Nação / Mundo

Lufthansa recebe luz verde para retomar voos para a Rússia

Em um comunicado, a Lufthansa disse que as autoridades russas aprovaram seus voos de Frankfurt a Moscou e São Petersburgo para o mês de junho.

Esta foto de arquivo tirada em 30 de julho de 2020 mostra o logotipo da empresa em um Lufthansa airbus A 340 em um hangar no aeroporto de Frankfurt am Main, Alemanha.

Esta foto de arquivo tirada em 30 de julho de 2020 mostra o logotipo da empresa em um Lufthansa airbus A 340 em um hangar no aeroporto de Frankfurt am Main, Alemanha.

Getty

BERLIM - A companhia aérea alemã Lufthansa disse na noite de quarta-feira que recebeu luz verde da Rússia para retomar os voos para lá, depois de ter sua permissão negada brevemente, o que resultou em um bloqueio recíproco de voos pela Alemanha.

Em um comunicado, a Lufthansa disse que as autoridades russas aprovaram seus voos de Frankfurt a Moscou e São Petersburgo para o mês de junho.

A Lufthansa foi forçada a cancelar dois voos na terça e na quarta-feira, após não conseguir a aprovação da autoridade de aviação russa FATA.

Devido à prática recíproca subjacente, a Autoridade Federal de Aviação da Alemanha também não emitiu nenhuma outra autorização para voos das transportadoras russas, enquanto as autorizações estavam pendentes do lado russo, disse o Ministério dos Transportes da Alemanha em um comunicado.

A mudança afetou as conexões operadas da Rússia pela Aeroflot e pela transportadora econômica S7.

Não ficou imediatamente claro se o sinal verde para a Lufthansa levaria as autoridades alemãs, por sua vez, a aprovar as companhias aéreas russas para retomar os voos para a Alemanha.

Mas o ministério afirmou que assim que as aprovações da FATA para voos da Lufthansa forem concedidas pelo lado russo, os voos de companhias russas também serão aprovados.

A disputa olho-por-olho vem em meio à crescente tensão entre a Rússia e a União Europeia sobre o apoio de Moscou à Bielo-Rússia.

O bloco de 27 países e os Estados Unidos introduziram na semana passada novas sanções contra a Bielo-Rússia depois que autoridades locais desviaram um vôo internacional para prender um jornalista dissidente. As sanções vêm além das já impostas a autoridades bielorrussas, incluindo seu líder autoritário, o presidente Alexander Lukashenko, por fraudar eleições e reprimir protestos no ano passado.

próxima refeição feliz brinquedo