Esportes Universitários

Ex-Illini Roger Powell Jr. de volta mais quatro

O ex-Illini retorna à Final Four 16 anos depois como assistente técnico de Gonzaga.

Roger Powell Jr. (à esquerda, com Drew Timme) foi assistente técnico do Gonzaga sob o comando de Mark Few por duas temporadas. Os Bulldogs foram 61-2 durante esse período. Getty Images

Roger Powell Jr. (à esquerda, com Drew Timme) foi assistente técnico do Gonzaga sob o comando de Mark Few por duas temporadas. Os Bulldogs foram 61-2 durante esse período. Getty Images

Ethan Miller, Getty

Roger Powell Jr. está de volta à Final Four.

Powell foi um jogador-chave para a equipe de Illinois que perdeu para a Carolina do Norte no jogo do campeonato nacional da NCAA de 2005. Antes disso, ele foi um jogador estrela do ensino médio na Joliet.

Agora a reputação de Powell está crescendo como treinador universitário. Ele está em sua segunda temporada sob o comando do técnico Mark Few como assistente do Gonzaga. Powell fez parte de uma temporada de dois anos em que os Bulldogs chegaram a 61-2.

O site conversou com Powell na manhã seguinte à vitória de Gonzaga na Elite Oito contra o USC.

Sun-Times: A campainha soa na terça-feira e você sabe que vai para a Final Four pela primeira vez como treinador. Quais foram seus pensamentos imediatos?

Powell: Para ser sincero, foi uma loucura. Cortar a rede na noite passada me levou de volta a vencer o Arizona na Elite Oito, quando eu estava jogando pelo Illinois. Aquela sensação de sacrificar, competir, moer, tudo para chegar ao maior palco do basquete universitário. Esse é um sentimento especial.

S-T: Existe mais uma apreciação de como é difícil uma jornada para realmente chegar a este ponto, para chegar ao Final Four?

chicago sun times sudoku interativo

Powell: Sem dúvida. Sou treinador há 10 anos e é a primeira vez que estarei treinando na Final Four. E já se passaram 16 anos desde que fiz parte disso como jogador. Aceitar agora é muito mais surreal.

S-T: Qual foi o desafio mais difícil neste torneio disputado em Indianápolis?

Powell: Obviamente, estar em um hotel por três semanas e não ver a família, tentando manter nossos caras ativos, ocupados e animados. . . . Esse foi um grande desafio. Fizemos essa coisa de Topgolf como uma equipe, e eles nos levaram ao zoológico, então essas coisas ajudam a quebrar a monotonia de estar em um hotel. Por outro lado, nos ajudou a manter o foco. Não tivemos as distrações de voar para casa. Acabamos de ficar juntos e, de certa forma, isso ajudou na nossa química.

S-T: Quanto se tem falado dentro do programa sobre a possibilidade de ser o primeiro campeão nacional invicto em 46 anos?

Powell: Nossos caras já viram isso o suficiente na TV. Cada vez que você olha, você é lembrado disso porque alguém está dizendo algo sobre Gonzaga. Você está ouvindo e vendo o suficiente, então, quando estamos juntos, apenas seguimos o processo.

S-T: Muitas pessoas estão perguntando sobre quando será a sua hora de se tornar um treinador principal.

Powell: Eu meio que sempre disse a mim mesma que queria ser assistente por 10 anos antes de sentir que estava pronta para assumir um programa. Agora é o ano 10. Eu não sabia que depois de 10 anos eu seria tão abençoado e teria tanto sucesso quanto tive a sorte de ter. Mesmo com o sucesso, também tive anos desafiadores. Tudo me trouxe a um lugar onde acho que estou pronto. Mas não estou com pressa. Posso continuar a melhorar, continuar a aprender e podemos continuar a vencer em alto nível aqui.