Querida Abby

Querida Abby: O irmão do meu marido está traindo; devo contar a sua esposa ou calar a boca?

O leitor odeia saber que uma boa esposa e mãe é casada com alguém infiel.

45 peças para as primeiras damas da América

QUERIDA ABBY: Meu marido trabalha fora da cidade com o irmão, que é casado. Embora eu não seja próximo da minha cunhada, gosto dela muito bem.

Meu problema é que meu marido continua compartilhando comigo que seu irmão é infiel enquanto viaja, e eu realmente o ouvi em uma ligação com meu marido tentando mostrar ao meu marido fotos de outras mulheres nuas. Não posso expressar o quanto isso ferve meu sangue. Não é apenas da perspectiva de alguém que foi traído antes (não pelo meu marido), mas também que o fato de seu irmão se gabar com fotos mostra que ele não respeita NENHUM casamento ou relacionamento.

Sinto-me preso em decidir se devo compartilhar essas informações com minha cunhada ou se isso seria ultrapassar algum tipo de limite onde não é da minha conta. Como não converso com ela com frequência, tenho medo de apenas causar drama onde não deveria ter colocado meu nariz. Mas acredito que ela é uma boa esposa e mãe, e me sinto péssima e oprimida por saber que seu marido não é fiel a ela.

Devo guardar isso para mim mesmo e confiar no carma para um dia revelar suas transgressões ou devo dar a ela as informações que tenho? (Não envolve nenhuma prova concreta, exceto a palavra do meu marido e o que eu ouvi.) Meu marido acha que eu deveria ficar quieta e diz que se sentiria desconfortável se fosse colocado em uma posição para denunciar o irmão. - TENTADO EM TENNESSEE

CARO TENTADO: Seu cunhado é um fanfarrão imaturo e sem consciência. O carma não protegerá sua cunhada da sífilis, clamídia, gonorréia, herpes e HIV, para citar apenas algumas das DSTs às quais seu marido a expôs. Diga a ela que é importante que ela marque uma consulta com o médico para fazer o teste de todos eles. Não é isso que você quer se a situação se inverter?

QUERIDA ABBY: Tenho duas filhas adultas. Uma delas é egocêntrica e se recusa a dar presentes no meu aniversário ou no Natal, embora goste muito de recebê-los.

Se esta é a posição dela, então acho que está tudo bem, porque não preciso de muito, e é realmente o pensamento que conta. Eu gosto de dar presentes, mas sinto que estou sendo aproveitada.

Isso é exacerbado pelo fato de que, no passado, eu a salvei de algumas situações difíceis. Eu sei que é um problema diferente - e eu estabeleci limites para isso - mas essa coisa de presente me frustrou duas vezes por ano nos últimos 10 anos, e é hora de um plano melhor. Ajuda por favor. - BOM PAI EM OREGON

QUERIDO PAPAI: Se a situação estivesse bem, você não teria me escrito sobre isso. Eu acredito em comunicação. Tenha uma longa conversa esperada com sua filha. Mostrar consideração não deve ser uma rua de mão única, que é o que sua filha fez. Mais importante do que um item tangível é o pensamento por trás dele. De onde estou, se ela não se incomodar em ligar ou enviar mensagens de texto nessas ocasiões especiais, acho que sua generosidade foi aproveitada.

Dear Abby foi escrito por Abigail Van Buren, também conhecida como Jeanne Phillips, e foi fundada por sua mãe, Pauline Phillips. Entre em contato com a cara Abby em www.DearAbby.com ou P.O. Box 69440, Los Angeles, CA 90069.

Bons conselhos para todos - adolescentes a idosos - estão em A raiva em todos nós e como lidar com ela. Para fazer o pedido, envie seu nome e endereço de correspondência, além de cheque ou ordem de pagamento de $ 8 (fundos dos EUA), para: Dear Abby, Anger Booklet, P.O. Box 447, Mount Morris, IL 61054-0447. (O envio e o manuseio estão incluídos no preço.)