Mundo

Homem albanês com faca fere cinco na mesquita de Tirana

Rudolf Nikolli, 34, entrou na mesquita Dine Hoxha no centro de Tirana por volta das 14h30, disse um comunicado da polícia. A polícia disse que reagiu imediatamente após o início do ataque e o levou sob custódia.

A polícia fica do lado de fora da mesquita Dine Hoxha após um ataque com faca em Tirana, Albânia, segunda-feira, 19 de abril de 2021. A polícia diz que um albanês com uma faca atacou cinco pessoas em uma mesquita na capital Tirana. Um comunicado policial disse que Rudolf Nikolli, 34, entrou na mesquita Dine Hoxha, no centro de Tirana, por volta das 14h30. e feriu cinco pessoas com uma faca. (Foto AP)

Um albanês com uma faca atacou e feriu cinco pessoas na segunda-feira em uma mesquita na capital, disse a polícia, enquanto os investigadores tentavam determinar o motivo do ataque.

Rudolf Nikolli, 34, entrou na mesquita Dine Hoxha no centro de Tirana por volta das 14h30, disse um comunicado da polícia. A polícia disse que reagiu imediatamente após o início do ataque e o levou sob custódia. A estação de televisão privada Top Channel, no entanto, mostrou civis bloqueando Nikolli antes da chegada da polícia.

Uma investigação policial foi iniciada no caso.

Os cinco feridos, todos homens entre 22 e 35 anos, foram levados para um hospital e a polícia disse que suas condições não eram fatais.

Leitura|Basta, nossa comunidade já passou por traumas suficientes ': Parentes de Sikhs mortos em tiroteio em massa em Indiana

O pai de Nikolli, Niko, disse à mídia online Balkanweb que seu filho está deprimido desde o ano passado, depois que ele não teve permissão para ir para a Itália e também havia sido infectado com o coronavírus. O pai do suposto agressor é católico e sua mãe é muçulmana, e o pai disse que disse a seu filho para ir à mesquita ou igreja, o que ele quisesse.

Seu pai disse que seu filho foi convertido ao islamismo por um imã na cidade de Burrel, no norte, onde ele morava. Mas o pai disse que seu filho costumava ser impedido de entrar nas mesquitas por adoradores porque eles lhe diziam que ele era cristão.

Ahmed Kalaja, imã da mesquita, disse que o homem atacou fiéis e funcionários em um momento em que a mesquita estava cheia de crentes durante o mês de jejum do Ramadã.

Esperamos que não tenha sido um ataque terrorista, disse Kalaja.

Os 2,8 milhões de albaneses são predominantemente muçulmanos, com comunidades cristãs católicas e ortodoxas menores que se dão bem.

Alto funcionário da Igreja Católica na Albânia, Angelo Massafra deplorou o ato de Nikolli e expressou seu apoio aos feridos.

Rezamos a Deus por todos vocês que estão vivendo o mês do Ramadã, pelos feridos, por sua comunidade e por todos os albaneses para que a paz e a bondade reinem em nossos corações e que tais eventos não ocorram mais, disse Massafra em um declaração ao líder da comunidade muçulmana da Albânia, Bujar Spahiu.

A religião na Albânia foi proibida por 23 anos sob o antigo regime comunista do ditador estalinista Enver Hoxha, que declarou a Albânia o primeiro estado ateu do mundo, de 1967 até sua queda em 1990. Autoridades religiosas de todas as religiões foram mortas, torturadas, presas ou enviadas para campos de trabalho.

O Papa Francisco fez sua primeira visita a um país dominado por muçulmanos em 2014 na Albânia, chamando sua harmonia inter-religiosa um exemplo inspirador para o mundo.